Não negocie o Evangelho

0
83

Gálatas 1:10 “Porventura, procuro eu, agora, o favor dos homens ou o de Deus? Ou procuro agradar a homens? Se agradasse ainda a homens, não seria servo de Cristo.”

Convido você a observar comigo este versículo 10 do primeiro capítulo de Gálatas,  Paulo está enfrentando aqueles judaizantes que estavam infiltrando na igreja, querendo colocar algumas práticas da lei agora naquelas igrejas que estavam começando ali na região da Galácia, e eram várias pessoas infiltradas com esses ensinos. E Paulo de forma muito firme está atacando aqueles ensinos e mostrando a verdade bíblica sobre esses fatos. Ele não negocia a verdade.

Aqueles judeus da circuncisão queriam que Paulo, impusesse a circuncisão aos gentios, mas Paulo não fazia, apenas para agrada-los, pois via a necessidade de tal pratica para a salvação, e assim era acusado de ter uma mensagem que fosse atraente aos homens. Eles diziam: Não, ele não está exigindo tal e tal costume, como faziam os judeus da época para agradar as pessoas, questionando as motivações do apóstolo Paulo.

Paulo não está anunciando o evangelho para agradar os homens, mas eles, os judaizantes, além de atacarem a sua autoridade também atacavam sua motivação. Paulo diz Porventura procuro eu agora o favor dos homens ou de Deus?

O Apóstolo Paulo, ele não era um político, não era um embaixador. O seu intuito não era agradar os homens ou conquistar admiradores, mas era levar a mensagem de salvação em Cristo Jesus, conquistada ali na obra da cruz. E é interessante observar que Paulo não se intimidou diante das acusações. A posição firme do apostolo é um grande exemplo para nós hoje, Paulo não fazia do seu ministério uma plataforma de relações ele era muito incisivo nas suas convicções dele em relação ao que o Senhor diz da Sua vontade para com a Igreja. Paulo Ele era um arauto, não era um bajulador. Ele jamais transgrediu a mensagem para agradar homens, jamais vendeu a sua consciência para ter vantagens pessoal.

E 2 Coríntios 2:17, ele fala sobre isso. “Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus.” Ele era um apóstolo, não era um apóstata. E eu fico pensando, como hoje nós vemos muitas pessoas negociando a verdade bíblica. Negociando que a Palavra de Deus diz em troca de aplausos, em troca de ter mais pessoas congregando, em troca de ter favor diante dos homens. E negociam a Palavra, negociam a verdade bíblica porque dizem: Olha, se eu falar isso e isso pode não agradar alguém pode sair da igreja, pode afastar. Não, eu posso ser malvisto. Mas Paulo tinha uma posição firme. Infelizmente, hoje não é o que nós vemos em muitos lugares. As pessoas hoje estão negociando e eu não estou falando de costumes, de tradições, nós podemos conversar num outro momento, mas estou falando de verdades fundamentais da Palavra de Deus, da salvação, doutrinas bíblicas. E Paulo não negociava aquilo que a Palavra condena. Muitos hoje aceitam para serem bem vistos, para ficarem bonitinhos aos olhos da sociedade contemporânea que nós estamos vivendo. Enfim, Paulo era muito firme nos seus propósitos, nas suas convicções, ele estava a serviço de Cristo, não a serviço dos homens.

É interessante ver no versículo 10b onde ele diz Ou eu procuro agradar os homens se agradasse ainda há homens não seria servo de Cristo? Ele diz que estava a serviço de Cristo, não a serviço de homens. Meus irmãos, Paulo tinha plena consciência de quem ele estava servindo. Ele sabia que ele era servo de Cristo. Ele tinha convicção do que estava falando. E aquelas pessoas, aqueles judaizantes, acusando e questionando o ministério de Paulo? Precisamos observar que quem é servo de Cristo não está buscando holofotes. Quem é servo de Cristo não está buscando aparecer. Quem é servo de Cristo não depende de elogios das pessoas e não desencoraja com as críticas. Quem é servo de Cristo de verdade não está atrás de sucesso, não está atrás de glórias humanas. Quem é servo de Cristo de verdade não muda a mensagem para agradar os ouvintes. Quem é servo de Cristo não tem um ministério para agradar aos homens, mas para servir a Cristo. Essa convicção firme que Paulo tinha precisa existir em cada um de nós. A nossa mensagem não é com o propósito de agradar as pessoas. A nossa mensagem não deve ser com o propósito de ficar famoso, conhecido, de ser bem visto. Nós somos chamados para proclamar a mensagem de salvação, a mensagem de arrependimento, a mensagem que o homem é pecador na sua essência, aquilo que Deus condena, Deus condena. Porque, meus amados irmãos, pecado é sempre pecado, ainda que todos estejam fazendo, continua sendo pecado, ainda que seja visto como normal. Se está na Palavra de Deus, se é pecado, é pecado. Hoje a uma necessidade de cristãos que tenham uma firmeza nos nossos propósitos e convicções, indiferente de pressões, indiferente de não ser tão bem visto, indiferente se agrada ou não agrada. Lamentavelmente, hoje grande parte das pessoas querem um lugar, quer uma mensagem que traga tranquilidade aos seus ouvidos. As pessoas gostam e até procuram lugares onde aceitam como elas são. E nós vemos muito isso, quantas opções existem hoje? Quantas pessoas que, ao ouvirem a mensagem de correção, de orientação, de instrução, ao invés de mudarem de vida, mudam de igreja. A mensagem da parte de Deus é uma mensagem de arrependimento, de conversão, de transformação e essa é a mensagem que nós temos, é isso que precisamos ter em nossa mente, como Paulo, não estou pregar para agradar homens, para fazer tirar vantagem, proveito próprio, não é para mim ficar famoso e ficar conhecido. Preguemos o evangelho de Cristo Jesus, apesar do que possa acontecer, sejamos verdadeiros arautos da verdade, que proclamam a salvação, perdão pecados, vida nova, livres dos peso do pecado.

Ainda é importante observar aqui, ainda que os judaizantes estavam querendo colocar mais cargas, no uso excessivo dos seus costumes, das suas tradições e ainda hoje existem tais, pessoas acusando, muitos outros porque não fazem isso ou aquilo, porque não guardam certos costumes, tradições ou observação de alguns aspectos da lei, querendo agregar a salvação imposições que vão além do que a Palavra nos deixa claro, a suficiência da obra redentora da cruz do calvário. Nos pautemos apenas pelo que a Bíblia orienta, o que a Bíblia instrui para a Igreja? Nós hoje somos igreja lavados no sangue de Cristo Jesus. Nós temos as orientações para a igreja e muitos, como o judaizantes, querem colocar outras coisas também, nós precisamos ter muita cautela, muita sabedoria para olhar o que a Palavra de Deus nos diz. Nem um extremo nem outro extremo, sabemos que extremos são sempre muito perigosos. Nós somos chamados para andar no equilíbrio, no centro da vontade de Deus.

Que o Senhor nos ajude a enxergarmos verdadeiramente o que Ele quer da Sua Igreja. Sabe onde é que nós vemos na Palavra de Deus? Não é nos costumes, não é na tradição, não é no que alguém pensa ou que alguém acha. Não é nos conceitos da sociedade contemporânea, mas somente no que a Bíblia diz e que a nossa vida possa ser pautada dentro do princípio estabelecido por Deus para a sua Igreja, a qual nós fazemos parte pela graça e pela misericórdia de Deus. Deus te abençoe grandemente, em nome de Jesus.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here